top of page
  • Foto do escritorJefferson W. Santos | Ad Astra

CALÇOS FORA!

Atualizado: 18 de mai.





Uma sinfonia em uma voz.


Você tem ideia do que esta simples frase representa?


Para mim, é uma das frases mais significativas que já ouvi, por diversas vezes, ao longo dos meus mais de trinta anos como piloto.


Uma frase densa, também assertiva e resolutiva. Quando o “chefe de pista” fala ao microfone para o comandante da aeronave, significa que um fabuloso elenco de profissionais trabalhou com denodo, com garra e com determinação para que nenhuma falha em qualquer de suas atividades ocorresse.


Ela é o arauto de minha primeira paixão: VOAR! Também representa o que mais me atraiu ao longo de meus mais de quarenta anos como profissional, sendo piloto, professor, logístico, consultor etc. ADMINISTRAÇÃO.


Após formado, assim como muitos de meus colegas e contemporâneos, buscava complementar meus estudos em terceiro grau. A grande maioria buscava a faculdade de Direito. Pelo contrário, eu buscava a de Administração. Eu queria me capacitar a dar conta de entregar resultados com eficiência e com segurança em qualquer das atividades comuns que as organizações militares na Aeronáutica tinham como missão. Eu deveria ser muito bom fosse em distribuir calças e camisas para soldados bem como para fechar contratos internacionais no Centro de Lançamento Espaciais, em Alcântara MA. Oficiais tinham que se preparar e se capacitar para atuar em qualquer atividade desse fabuloso e complexo leque de atribuições e de responsabilidades aos quais a Aeronáutica é responsável por entregar à sociedade. Então, escolhi estudar Administração.


O olhar de um piloto quando ele é um gerente ou um administrador é diferente. Ele vai em busca de “filigranas”, de detalhes escondidos no todo mas que podem ser essenciais ou, até mesmo, concorrer a um desastre quando não atentos ou priorizados.


Minha experiência em mais de 16 anos no Sistema de Investigação e de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos me preparou para essa “sensibilidade”: Investigação de acidentes ou de incidentes aeronáuticos revelavam o quão importante era se atentar para detalhes, se atentar para o funcionamento de atos, de processos e de atividades em sequência fluída, concatenada e sistêmica.


“Calços fora!” emoldura com êxito e excelência uma fenomenal conjunção de pequenos atos e de corriqueiros processos de atividades que se completam com êxito. Simples mas fundamentais, as conclusões exitosas de “pequenas partes” permitem a gigantes engrenagem, que é a preparação para a decolagem, ocorrer.


Calços fora!” simboliza a dedicação, o êxito e a excelência:

  • de um atendimento eficiente em uma agência de viagens;

  • de uma captação de bagagens na entrada de um aeroporto e sua deposição na fila de embarque;

  • do atendimento correto dos funcionários no guichê de embarque;

  • na verificação de integridade e de segurança e, após, a etiquetagem e a liberação das bagagens na esteira;

  • na deposição, na captação e na acomodação cuidadosa de bagagens em uma prancha e o seu deslocamento para o lado do bagageiro da aeronave;

  • na orientação precisa para a liberação de passageiros para prosseguirem para o setor de embarque;

  • no conforto, na segurança e na limpeza de áreas de circulação e de estar por funcionários dos aeroportos;

  • na comunicação clara e objetiva dos funcionários avisando acerca da movimentação das aeronaves no pátio e demais instruções essenciais para prosseguimento da viagem;

  • na orientação e no acompanhamento dos passageiros até a porta da aeronave;

  • na recepção, na gentil e precisa orientação complementar dos comissários aos passageiros;

  • na precisão e no profissionalismo dos pilotos na execução dos cheques de sistemas de funcionamento da aeronave, de instrumentos de voo e na comunicação com órgãos de controle do espaço aéreo;

  • na aproximação segura de veículos nas proximidades e nas cercanias da aeronave;

  • na colocação precisa e segura de itens de comissaria, de higiene e de segurança aos passageiros;

  • na verificação de integridade e de funcionamento dos sistemas das aeronaves;

  • nas verificações visuais sobre a superfície, os trens de pouso e os painéis abertos de bagageiros e de compartimentos;

  • no reabastecimento seguro e preciso de combustível, de óleo hidráulico e de oxigênio nos pequenos painéis e bocais de acesso;

  • na conexão segura de escadas e de pranchas com bagagens;

  • no posicionamento preciso dos profissionais de combate a incêndio;

  • no acompanhamento e na correção imediata e oportuna de qualquer dos eventuais erros, os “pequenos detalhes”;

  • na ajuda mútua de profissionais aos colegas que encontram dificuldades, mesmo que a atividade problemática não lhes seja de responsabilidade direta;

Calços fora” significa dedicação, comprometimento, proatividade, busca incessante pela qualidade. Simboliza a excelência de equipes autogerenciáveis que vi em poucas empresas das várias por onde passei e interagi de alguma forma.


Calços fora” também representa o que há de melhor e mais oportuno na liderança situacional, pois as oportunidades de erros de diversas formas ocorrerem é muito grande e ampla em muitos setores distintos. Mas a responsabilidade final da segurança e da qualidade é do supervisor de pista, o “maestro” daquela esplêndida orquestra de funcionários dedicados, aplicados e circunspectos.


Calços fora” emoldura um complexo, hipnotizante e maravilhoso cenário de um “spot” ocupado por uma aeronave e rodeado por um elenco de equipamentos e de pessoas que se completam e se harmonizam em suas tarefas para permitir que todos estejam seguros e que as atividades sejam concluídas com excelência.


"Calços fora!" não é só uma frase, é uma verdadeira sinfonia.


Quando o comandante inicia o pushback cada um dos funcionários olha para a majestosa aeronave se afastando fixando o olhar para as pequenas janelas laterais e murmura:


“Vão com Deus. Missão cumprida!”







38 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

DECISÃO

Comments


bottom of page